segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Formação no âmbito das AEC (online)


Divulgação das Acções de Formação no âmbito do Programa das Actividades de Enriquecimento Curricular no 1º ciclo do ensino Básico

3ª edição da formação online destinada a professores que se encontram a leccionar Inglês nos 1º e 2º anos do 1.º Ciclo do Ensino Básico, no âmbito do Programa das Actividades de Enriquecimento Curricular no 1º ciclo do ensino básico.
Não serão admitidos os candidatos que já frequentaram as 1ª e 2ª Edições deste curso de formação.
INFORMAÇÕES ÚTEIS (leia atentamente estas informações antes do preenchimento da ficha de inscrição)
FICHA DE INSCRIÇÃO ONLINE (disponível a 01/12/2009)


5ª edição da formação online destinada a professores que se encontram a leccionar Inglês nos 3º e 4º anos do 1.º Ciclo do Ensino Básico, no âmbito do Programa das Actividades de Enriquecimento Curricular no 1º ciclo do ensino básico.

Não serão admitidos os candidatos que já frequentaram as 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Edições deste curso de formação.
INFORMAÇÕES ÚTEIS (leiaatentamente estas informações antes do preenchimento da ficha de inscrição)
FICHA DE INSCRIÇÃO ONLINE (disponível a 01/12/2009)
Formação de Professores online destinada a professores que se encontram a leccionar Música no 1.º Ciclo do Ensino Básico, no âmbito do Programa das Actividades de Enriquecimento Curricular do 1º ciclo do Ensino Básico.
Não serão admitidos os candidatos que frequentaram a 1.ª Edição desta Acção de Formação ou a Acção de Formação “Ensino da Música no 1º Ciclo do Ensino Básico”.
INFORMAÇÕES ÚTEIS (leia atentamente estas informações antes do preenchimento da ficha de inscrição)
FICHA DE INSCRIÇÃO ONLINE (disponível a 01/12/2009)

domingo, 29 de novembro de 2009

Prémio Fundação Ilídio Pinho - Ciência na Escola





Artes da Física é o tema da 8ª edição do Prémio Fundação Ilídio Pinho 'Ciência na Escola'. O Prémio, criado em 2002 com o objectivo de estimular o interesse dos alunos pelas ciências, resulta de um protocolo entre a Fundação Ilídio Pinho, o Ministério da Educação e o Banco Espírito Santo.

Inicialmente dirigido a alunos dos 2º e 3º ciclos do ensino básico e ensino secundário, o Prémio FIP 'Ciência na Escola' estende-se este ano, e à semelhança da edição anterior, aos alunos do 1º ciclo e educação pré-escolar, dividindo-se pelos seguintes escalões:

1º escalão– constituído por projectos que envolvam crianças da educação pré-escolar;
2º escalão– constituído por projectos que envolvam turmas do 1º ciclo de ensino básico;
3º escalão– constituído por projectos que envolvam turmas do 2º e 3º ciclos do ensino básico;
4º escalão– constituído por projectos que envolvam turmas do ensino secundário.

 

As candidaturas ao Concurso de Ideias – 1ª fase do Prémio – decorrem entre 9 de Novembro de 2009 e 8 de Janeiro de 2010. 

Notas
 


Regulamento (doc - 703 KB) 


Boletim de candidatura (doc - 790 KB) 



Para mais informações, consulte o sítio da Fundação Ilídio Pinho

sábado, 28 de novembro de 2009

O rugby nas escolas

O rugby está em franco crescimento no nosso país.

Não só a nossa selecção participou pela primeira vez no Campeonato Mundial, como também nas escolas ganha mais adeptos. O Desporto Escolar enquadrou a modalidade nos projectos especiais do 5º ao 9º ano, com o apoio da Federação Portuguesa de Rugby.
Junto divulgamos a página da Fórum Estudante – Outubro 2009, que publica artigo sobre a modalidade do rugby, e ao papel do Desporto Escolar na dinamização desta modalidade junto das escolas. 
Clique na imagem para descarregar a página.


                        

A revista pode ser descarregada em:


Sobre o Forum Estudante em: www.forum.pt

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

FILHOS DE PAIS EM GUERRA


A ideia de um pai ou de uma mãe manipular o seu filho com a intenção de predispô-lo contra o outro progenitor pode parecer difícil de aceitar, porém é um fenómeno cada vez mais frequente depois de um divórcio ou separação.

Este fenómeno, conhecido pelos especialistas como Síndrome de Alienação Parental, é ainda pouco estudado em Portugal e foi objecto da Grande Reportagem, emitida pelo canal SIC.

Porque todos devemos reflectir a forma de como os nossos comportamentos afectam os nossos filhos, não só em caso de divórcio, e pelo que o tema nos parece de importante, divulgamos o link (clicar na imagem) para visualização do programa.



Como informação adicional sobre o tema, divulgamos um livro (link na imagem para a livraria) onde o autor descreve, de uma forma prática e rigorosa, o processo pelo qual um progenitor muda a consciência do seu filho de forma a impedir ou destruir o vínculo com o outro pai, até conseguir que o odeie ou rejeite.


O livro é dirigido a pais e mães em processo de separação, ou que se encontrem já divorciados, a psicólogos e assistentes sociais e aos profissionais que, ao trabalharem no mundo judicial, se encontram implicados nos processos de direito de família, como juízes, fiscais, advogados e forenses.


Não deixamos de recordar a Constituição da República Portuguesa no que à família, casamento e filiação consagra como fundamental




Artigo 36.º
(Família, casamento e filiação)


1. Todos têm o direito de constituir família e de contrair casamento em condições de plena igualdade.

2. A lei regula os requisitos e os efeitos do casamento e da sua dissolução, por morte ou divórcio, independentemente da forma de celebração.

3. Os cônjuges têm iguais direitos e deveres quanto à capacidade civil e política e à manutenção e educação dos filhos.

4. Os filhos nascidos fora do casamento não podem, por esse motivo, ser objecto de qualquer discriminação e a lei ou as repartições oficiais não podem usar designações discriminatórias relativas à filiação.

5. Os pais têm o direito e o dever de educação e manutenção dos filhos.

6. Os filhos não podem ser separados dos pais, salvo quando estes não cumpram os seus deveres fundamentais para com eles e sempre mediante decisão judicial.

7. A adopção é regulada e protegida nos termos da lei, a qual deve estabelecer formas céleres para a respectiva tramitação.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Concurso Ilustração dos Direitos da Criança

Comemora-se este ano o 50º aniversário da Declaração dos Direitos da Criança, proclamada pelas Nações Unidas.


No âmbito desta comemoração, foi celebrado um protocolo de cooperação entre o Ministério da Educação, através da Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular, e a Pro Dignitate – Fundação de Direitos Humanos, em que se prevê a realização de um concurso de ilustração, abrangendo todos os estabelecimentos de educação e ensino, desde a educação pré-escolar até ao 3º ciclo do ensino básico. Igualmente se prevê que as pinturas, fotografias ou desenhos premiados sejam integrados numa brochura sobre os direitos da criança, a ser amplamente divulgada.

Assim, os direitos pessoais da criança à identidade, à igualdade de oportunidades, ao respeito e à diferença, bem como os seus direitos civis, económicos e culturais, a saúde, a segurança social, a educação e a cultura, definidos nos dez artigos que compõem a Declaração, serão os motivos inspiradores da interpretação que cada grupo de crianças e alunos, com o apoio de um/a educador/a ou professor/a responsável, lhes entenda dar.


A realização destes trabalhos permite que, em cada comunidade educativa, educadores, docentes, alunos e também os pais e encarregados de educação possam desenvolver uma reflexão e boas práticas sobre os direitos da criança. Na verdade, é preciso conhecer bem esses direitos para que eles possam ser protegidos, reclamados e respeitados na vida quotidiana, tanto no plano pessoal, como familiar, escolar ou social. O conhecimento e o reconhecimento desses direitos despertarão, naturalmente, nas crianças e nos jovens, a consciência dos seus deveres e a responsabilidade para com as outras crianças e os outros jovens, os adultos, a comunidade e o ambiente que os cerca.


No regulamento em anexo estão definidas as condições de participação no concurso e os prazos de entrega e de apreciação dos trabalhos, os critérios de avaliação e os prémios a atribuir.

O concurso decorrerá entre os dias 3 de Novembro, abertura do concurso, e 2 de Março, data em que a lista de premiados será publicada.


O Ministério da Educação e a Fundação Pro Dignitate apelam para que cada comunidade escolar promova a dinamização desta iniciativa, mobilizadora de uma cultura de respeito, solidariedade e cidadania activa e responsável.




quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Professores vão ter carreira única


O secretário-geral da Federação Nacional dos Sindicatos de Educação (FNE) afirmou esta quarta-feira ter recebido do Ministério da Educação a garantia de que os professores terão uma carreira única, o que corresponde a uma das principais reivindicações da classe.



'Todo o documento assenta no princípio de uma carreira única', acabando a divisão entre professor e professor titular, disse João Dias da Silva, citado pela agência Lusa no final de uma reunião no Ministério da Educação.

Este foi um dos pontos apresentado como positivo pelo dirigente da FNE, segundo o qual a proposta que o ministério entregou à federação manifesta abertura para o diálogo: 'Não é um documento fechado, vamos reunir e elaborar uma contra-proposta'.

João Dias da Silva sublinhou, porém, que se mantêm dois aspectos negativos, nomeadamente a manutenção da prova de ingresso na carreira docente e uma proposta que limita o acesso ao quinto, sexto e sétimo escalões, embora o Ministério da Educação não tenha ainda definido percentagens.

'Esta proposta, à partida, é negativa, mas esperamos poder encontrar soluções', referiu o dirigente da FNE, acrescentando que o ministério o informou de que nenhuma proposta é definitiva.

A FNE vai reunir a estrutura directiva ainda esta semana por forma a apresentar a sua contra-proposta segunda-feira.

CM

Seminário: “O Direito da Criança ao Desenvolvimento Pleno das suas Capacidades”


No âmbito das comemorações do Cinquentenário da Declaração dos Direitos da Criança – 1959 / 2009, a Fundação Pro Dignitate vai organizar um seminário que irá decorrer nos dias 27 e 28 de Novembro de 2009.


terça-feira, 24 de novembro de 2009

Obras de referência dos Museus da Madeira, 500 Anos de História de um Arquipélago


De 21 de Novembro de 2009 a 28 de Fevereiro de 2010, Lisboa recebe na Galeria de Pintura do Rei D. Luís I, no Palácio Nacional da Ajuda, uma exposição de obras de arte de referência dos Museus da Madeira, como reflexos dos principais ciclos da sua história, entre o século XV e o início do século XX.

A exposição reúne um conjunto de peças sintomáticas das colecções de escultura, pintura, ourivesaria, mobiliário, cerâmica e fotografia, exemplificando os contactos com alguns dos mais importantes centros artísticos europeus.

A exposição reflecte igualmente a importância estratégica do arquipélago no contexto da expansão portuguesa, e depois europeia, ligada aos seus ciclos do Açúcar, Vinho e Turismo, como elementos fundadores do seu desenvolvimento.

No Arquipélago da Madeira experimentou-se pela primeira vez Portugal no Atlântico...

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Biologia do 12º ano – Kits experimentais de Biologia Molecular – Fórum de acompanhamento

No âmbito da colaboração estabelecida entre a DGIDC e a Ordem dos Biólogos deu-se início ao processo de distribuição, pelas escolas com ensino secundário em que haja oferta da disciplina de Biologia no 12º ano do Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnologias, de kits experimentais de Biologia Molecular – Kits Biogénius.

Estes Kits experimentais de Biologia Molecular permitem a realização, em contexto de sala de aula, de actividades experimentais que exigem equipamentos muito específicos e dispendiosos e que assumem grande pertinência no âmbito do programa de Biologia do 12º ano, na sua Unidade 2 – Património Genético.

Foram já enviados exemplares destes Kits para as Direcções Regionais de Educação, a fim de que estas entidades promovam a distribuição desse equipamento pelas escolas com ensino secundário da sua área de jurisdição.

Até à presente data produziu-se cerca de metade do total de Kits, prevendo-se que a produção dos restantes esteja concluída até ao final do presente ano, altura em que haverá uma nova distribuição.

Atendendo à especificidade destes Kits experimentais de Biologia Molecular, e consequente necessidade de proporcionar aos professores que leccionam Biologia do 12º ano, o apoio necessário à sua aplicação em sala de aula, foi criado um fórum de acompanhamento, que vimos agora divulgar.

Neste espaço dedicado aos professores que leccionam Biologia do 12º ano que irão trabalhar com os Kits Biogénius, são proporcionados:

· Um fórum de diálogo a fim de promover a partilha de experiências entre professores, bem como o seu acompanhamento na abordagem de temáticas no âmbito da Biologia Molecular, nomeadamente a realização de actividades experimentais que envolvam os Kits Biogénius, que contará com elementos da DGIDC e da Ordem dos Biólogos, nomeadamente o Professor Doutor José Matos, Vice-Presidente da Ordem dos Biólogos e investigador do INETI pertencente à equipa responsável pela concepção dos Kits Biogénius;

· Um espaço “notícias” que poderá ser utilizado para dar a conhecer as iniciativas de professores, de escolas, ou de outras entidades que se relacionem com este equipamento e com a área da Biologia Molecular;

· Um espaço onde seja possível carregar e descarregar documentos, nomeadamente guias experimentais e materiais de apoio aos professores no âmbito da Biologia Molecular.

· Foram ainda convidados a participar neste fórum professores que já realizaram formação relativa aos Kits de Biologia Molecular pela Ordem dos Biólogos e que, por conseguinte, poderão assumir um papel importante na dinamização desse espaço de partilha de informação, de materiais e de práticas.

As inscrições dos professores neste fórum de acompanhamento poderão ser feitas mediante o endereço: http://moodle.dgidc.min-edu.pt/course/view.php?id=373

Após a inscrição devem solicitar a senha de acesso à disciplina através do e-mail: silvia.castro@dgidc.min-edu.pt

domingo, 22 de novembro de 2009

ME define Metas de Aprendizagem


O Ministério da Educação deu início ao processo de definição das metas de aprendizagem a atingir pelos alunos em cada ciclo e seu desenvolvimento por ano de escolaridade.


Esta medida insere-se no estabelecimento de um quadro de Níveis de Referência para o Currículo Nacional, que se iniciará com a determinação das metas de aprendizagem para cada ciclo, e seu desenvolvimento por ano e por disciplina ou área disciplinar, tendo em conta os padrões internacionais, a experiência portuguesa e os resultados da investigação sobre factores que determinam a eficiência dos sistemas educativos.

Destina-se a proporcionar um instrumento de orientação e controlo útil aos docentes, às famílias e aos próprios alunos, que permitirá ajustar o ensino a metas comuns e apoiar com maior segurança os diferentes percursos escolares.

A definição de Níveis de Referência para o Currículo Nacional tem vindo a ser realizada em vários países, com assinaláveis impactos na qualidade e exigência dos sistemas educativos e com efeitos positivos nos níveis gerais dos resultados escolares.

A coordenação da equipa responsável pelo trabalho científico será assegurada pelo Professor Dr. Natércio Afonso, do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

O primeiro relatório, com as linhas gerais do Quadro de Níveis de Referência para o Currículo Nacional, será entregue no prazo de um mês, devendo as metas de aprendizagem para cada ciclo e área do currículo ser definidas até ao final do ano lectivo.

A definição de metas de aprendizagem integra-se num processo de aperfeiçoamento do Currículo Nacional, no quadro do qual o Ministério da Educação tomará outras medidas, nomeadamente relativas à articulação e sequencialidade das aprendizagens, à gestão da organização curricular e da carga horária das áreas disciplinares.

A par desta intervenção na área do currículo e visando proporcionar condições que permitam concentrar a actividade docente na prática pedagógica, o Ministério da Educação emitirá orientações destinadas a simplificar e desburocratizar procedimentos administrativos.

sábado, 21 de novembro de 2009

Legislação

Publicado em Diário da República
 
― Declaração n.º 387/2009. D.R. n.º 212, Série II de 2009-11-02doMinistério da Educação ― Gabinete da Ministra
Reconhece que a Academia de Música de Arouca é uma entidade que se enquadra na alínea g) do n.º 6 do artigo 62.º do Estatuto dos Benefícios Fiscais e que prossegue actividades regulares consideradas de interesse educacional.
 
― Despacho n.º 24084/2009. D.R. n.º 212, Série II de 2009-11-02doMinistério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior ― Direcção-Geral do Ensino Superior
Regista o curso de especialização tecnológica em Energia e Biocombustíveis na Escola Superior de Tecnologia de Tomar do Instituto Politécnico de Tomar.
 
 
Para publicação em Diário da República
 
 
Informações Gerais
 
― Casa das Ciências
A Casa das Ciências é um portal da Fundação Calouste Gulbenkian que pretende ser um espaço de referência para os professores de ciência.
Para mais informações: http://www.casadasciencias.org/
 
― Concurso Como se vive a Liberdade em Portugal… Crescer em Democracia: o olhar das crianças e dos jovens 35 anos depois do 25 de Abril ― Ano lectivo de
2008/2009
Os resultados do concurso podem ser consultados em: www.dgidc.min-edu.pt/
 
― Workshop: Tendências Judiciais de Admissibilidade Legal de documentos electrónicos como prova documental
Vai realizar-se a 20 de Novembro de 2009, no Auditório da Torre do Tombo, Alameda da Universidade de Lisboa.
Para mais informações: www.portalforense.com
 
― O Livro e a Leitura entre os Jovens
Colóquio organizado pela Imprensa da Universidade de Coimbra, a Associação Académica de Coimbra e a Biblioteca Geral da UC. Realiza-se nos dias 17 e 18 de Novembro.
Para mais informações: www.drec.min-edu.pt/
 
― Faz Portugal Melhor!
Concurso dirigido a alunos do ensino básico e secundário promovido pelo jornal online Ciência Hoje e pela Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica ― Ciência Viva.
Para mais informações: http://www.cienciahoje.pt/30150
 

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Conectando Mundos - 'Sonhos de Andorinha'

Na edição de 2008/2009, participaram 84 escolas e 2958 alunos/as de todo o país na proposta didáctica 'Conectando Mundos'. 




O Conectando Mundos é uma proposta didáctica de Educação para a Cidadania Global desenvolvida por quatro Organizações Não Governamentais europeias: Ucodep (Itália), Intermón Oxfam (Espanha), Inizjamed (Malta) e CIDAC (Portugal). 



Educar para a Cidadania Global representa educar para temas relevantes, com a intenção de que se produza uma transformação progressiva nos valores, atitudes e comportamentos dos nossos alunos e alunas, enquanto cidadãos conscientes da complexidade do mundo e participativos e comprometidos na construção de uma sociedade justa, equitativa e solidária.

A proposta didáctica é dinamizada através da plataforma onlinehttp://www.conectandomundos.org/pt e permite a participação e o intercâmbio entre alunos/alunas e professores/professoras de diferentes realidades geográficas (Portugal, Malta, Itália, Espanha, Brasil, Cabo Verde, Tanzânia, República Dominicana, Quénia, etc.) e socio-económicas, e de diferentes níveis de ensino (alunos dos 6 aos 17 anos).




Conectando Mundos - 'Sonhos de Andorinha'



Finalidade

Ao educar para a uma cidadania global, o Conectando Mundos pretende fomentar a transformação progressiva nos valores, atitudes e comportamentos dos nossos alunos e alunas, enquanto cidadãos conscientes da complexidade do mundo e participativos na construção de uma sociedade mais justa, equitativa e solidária. (para conhecer melhor leia o artigo da Revista Noesis nº 75 (AQUI) )





Público-alvo

Turmas do ensino básico, secundário e profissional cujos alunos têm idades compreendidas entre os 6 e 17 anos. 

Serão, posteriormente, formadas equipas constituídas por aproximadamente 15 turmas, agrupando alunos da mesma idade provenientes de diferentes regiões e países (Portugal, Espanha, Itália, Malta, Brasil, Cabo Verde, Tanzania, República Dominicana, Quénia..).





Porquê trabalhar as MIGRAÇÕES E DESENVOLVIMENTO?

As migrações, apesar de sempre terem existido, são também uma consequência lógica deste modelo social e económico injusto que rege o mundo em que vivemos.  


Enquanto abrimos cada vez mais as fronteiras à livre circulação de bens e capitais económicos, maior entraves colocamos à livre circulação de pessoas. E não só fechamos fronteiras, fechamos também mentalidades:
 - através de mensagens preconceituosas, 

 - através do medo face à diferença, 

 - através da concepção da identidade como algo uniforme e excludente,
 - através da homogeneização cultural...

A partir de uma perspectiva humana e integrada na concepção de cidadania global, abordamos as causas e as consequências que o processo migratório tem na vida das pessoas e no seu meio envolvente e desafiamos atitudes e compromissos, tanto a nível pessoal como colectivo.

Queremos construir um espaço comum de respeito e enriquecimento mútuo, em que há igualdade de deveres e direitos, aproximação e acolhimento, interculturalidade, valorizando a riqueza da diferença e da diversidade.





Objectivos



·         Conhecer e analisar, de forma crítica, os processos migratórios: as causas e as consequências na vida das pessoas e no seu contexto. 



·         Potenciar o interesse e a curiosidade pela investigação em torno do tema das migrações de desenvolvimento no contexto próximo, partilhar as principais ideias com outros alunos/as e poder retirar conclusões à escala global.



·         Fomentar acções e atitudes individuais e colectivas transformadoras que contribuam para a construção de uma sociedade aberta, diversa e solidária, baseada no respeito recíproco entre pessoas de diferentes proveniências.





Actividades



- Curso on-line para professores e professoras(de 18 de Janeiro a 4 Fevereiro de 2010, de acordo com a sua disponibilidade). Durante as 3 semanas, os professores/as  acedem à plataforma on-line de forma a familiarizar-se com o ambiente virtual, com os objectivos e conteúdos da proposta e com a actividade que vai ser desenvolvida com os alunos e alunas da faixa etária que lecciona. Nesta altura, terão acesso aos materiais de apoio (guia didáctico e documentação de referência) e poderão estabelecer contacto com os outros professores/as que realizarão a actividade.



- Actividades com os alunos e alunas (6 semanas de trabalho entre 8 de Fevereiro e 21 de Março de 2010). As turmas inscritas no Conectando Mundos vão interagir e trabalhar em conjunto através da Internet. Cada faixa etária irá dispor de uma proposta específica que suscita momentos de reflexão, debate e iniciativa, tanto com os colegas da turma como com os colegas virtuais. Estará ainda ao dispor dos participantes um conjunto de ferramentas de comunicação. Se quiser conhecer o que foi feito na edição passada visite a página http://www.conectandomundos.org/pt e o blog de professores/as portugueses participanteshttp://conectandomundospt.blogspot.com



- Encontro de professores e professoras (Abril). Os professores e professoras participante poderão participar no Encontro Nacional destinado à partilha de experiências. 

O cronograma rigoroso está relacionado com a participação simultânea de escolas e turmas de diferentes países cujos calendários escolares são bastante diferentes.





Porquê participar?



- Permite integrar a perspectiva de cidadania global nos projectos educativos das escolas/turmas e na programação das aulas de diferentes áreas curriculares e não curriculares.



- Potencia atitudes e valores que permitem conhecer e entender melhor a realidade envolvente e, desta forma, participar activamente na construção de um mundo mais sustentável.



- Permite que o conhecimento seja construído através de processos participativos e colaborativos de ensino-aprendizagem. 



Oferece novas metodologias de trabalhos às escolas relacionadas com autilização das Tecnologias da Informação e Conhecimento. 



Permite consolidar uma educação para a cidadania global. 



Inclui a diversidade cultural, linguística e social como um recurso para a participação e aprendizagem.

Torna o ambiente educativo um espaço dinâmico, proporcionando aos alunos e alunas uma forma diferente de conhecer.





Contamos com a participação da(s) sua(s) turma(s)!

Para participar é necessário preencher o formulário de inscrição on-line que se encontra no site www.conectandomundos.org  a partir de dia 13 de Outubro e até dia 18 de Dezembro. 



-- 

CIDAC

Rua Pinheiro Chagas, 77-2º Esq.

1069-069 Lisboa

Tel.(+351)21.317.28.60

Fax.(+351)21.317.28.70


quinta-feira, 19 de novembro de 2009

TPC e estudo são a mesma coisa?

Quando me refiro ao excesso de TPC, estou a referir-me às contas, tabuada repetida, cópias e fichas que as crianças mais pequenas levam para fazer depois da escola, mas também ao excesso de trabalhos que são uma repetição do que se fez na aula e, ainda, às actividades que são mais aulas depois das aulas.






Estudar tem de ter a adesão voluntária das crianças. Deve ser algo que elas percebam e por que se interessem. Perceber que conhecer, aprender e ter a possibilidade de participar no mundo de uma forma informada é algo estimulante, e as crianças gostam deste sentimento. Estudar é perceber mais e melhor... não é repetir o que os adultos impõem.



O conceito de estudar é muito confuso para as crianças e elas só o vão percebendo com o decorrer da escolaridade e à medida que se vão confrontando com outras situações -como, por exemplo, estudar a tabuada, estudar para um teste - e, mesmo assim, tudo isso depende delas. A função de estudar, não sendo uma operação muito concreta, é algo que não é muito claro para as crianças nem, provavelmente, para os adultos com quem convivem.


As crianças têm múltiplos interesses que são desprezados em função da 'matéria escolar'.


Todos sabemos disto - o que muitas vezes não sabemos é o que fazer para corrigir esta desatenção. Neste sentido, se se confundir TPC com estudar, estamos a dizer às crianças que estudar é aquele trabalho repetitivo, cansativo e mecânico que é proposto na maior parte dos TPC. É muito importante que se entenda isto, senão é o conhecimento e a própria Escola que estamos a desvalorizar.


A maior parte das crianças não gosta de fazer 'trabalhos de casa', mas aceita a obrigatoriedade da tarefa mais ou menos pacificamente. Outras, contudo, manifestam-se: É uma seca... Tenho de estar sempre a escrever... cansa a mão... Já estou cheio (...). Este sentimento alarga-se às educadoras do ATL, quando referem: estamos para aqui a ajudar as crianças, conscientes de que não sabemos ensinar. Os métodos são diferentes e se as crianças não sabem, deviam aprender na escola (...) Mas não é assim (...) quanto menos sabem mais trabalhos trazem para fazer..... É muito cansativo.... Apesar das dificuldades (não sabem fazer ou estão cansadas após um dia na escola), os 'trabalhos de casa' aparecem sempre como alguma coisa que faz parte dos seus quotidianos, que está naturalizada e que, portanto, não se questiona - (...) temos de fazer todos os dias e muitos... Ou cuja realização é condicionada pelo medo - se não fizer a minha professora ralha-me (...). Convém salientar aqui que as crianças, quer tenham 6, 7, 8, 9 ou 10 anos de idade, têm a mesma quantidade de tempo ocupado com obrigações escolares, independentemente do seu tamanho, ritmo ou contexto de vida.



Há, como sabemos, muitas formas de aprender e de ensinar, como há muitas de estudar. O acto de estudar, como de ler, não é de fácil ensino. Para ajudarmos as crianças a perceber o que significa estudar, qual o significado de estudar, é preciso respeitar algumas regras que se prendem com o ritmo de cada criança e com a forma que cada um arranja para satisfazer a sua curiosidade. As crianças são todas diferentes e, portanto, têm formas diferentes de se adaptar e se interessar. Assim, aplicar uma 'receita' igual a todas, mandá-las ler e repetir, não é de modo algum a melhor forma de elas se familiarizarem e começarem a perceber o acto de estudar. Algumas crianças gostam de procurar informações sobre matérias que lhes suscitaram curiosidade, gostam de escrever coisas e são muitos perspicazes. Tudo depende das matérias e das crianças. Se o intuito de algumas propostas dos TPC é treinar a memória, há também muitas formas de as crianças o fazerem que não passam pelo exercício repetitivo, como é o caso de repetir palavras e números várias vezes até decorar. Desenvolver e treinar a memória é o que as crianças mais fazem no seu dia-a-dia. Não precisamos de pedir às crianças que se interessem por um jogo de futebol e decorem as regras escrevendo vinte vezes numa folha de papel, pois elas já o fazem sem disso precisar. Elas fazem-no à medida que se vão confrontando com a necessidade de saber, ou seja, quando jogam ou quando vêem jogar. Fazem-no sem custo porque é uma actividade que lhes interessa e, portanto, aderem a ela. E, ao aderir, estão a memorizar e a treinar. Mas mesmo as crianças para quem este tipo de jogo não é tão interessante acabam por aprender ou vão perguntando quando têm uma dúvida. O mesmo podíamos dizer para as canções da moda, marcas de automóvel, grupos musicais, um jogo de xadrez ou muitos dos jogos electrónicos que exigem das crianças competências muito complexas e elaboradas. Um outro exemplo é o fenómeno Pokémon - que suscitou estudos, não só de Gil Brougère1 e de Paul Gee2, entre outros, para perceber como é que as crianças que tinham problemas com a aprendizagem conseguiam de forma tão eficaz saber, memorizar e perceber todo o sistema de personagens. São mais de duzentas figuras em diversas cores, que aparecem representadas em cartas, vídeo, bonecos de plástico, filmes, jogos electrónicos, etc., e que 'obrigam' as crianças a aprender e decorar todas as suas diferentes formas, nomes e competências. Cada personagem tem cerca de 16 tipos diferentes, com diversas funções, acompanhadas de outros tantos sons que formam um sistema muitíssimo complexo, que as crianças desde muito cedo aprendem sem qualquer dificuldade. Mas o que acontece com este jogo acontece com muitos outros. Neste sentido, precisamos de compreender que também as propostas de trabalho que exigem estudo e esforço têm de ser sentidas pelas crianças como verdadeiramente importantes e suficientemente interessantes para que a elas adiram com vontade e para que as valorizem, para que as trabalhem com gosto. Caso contrário, mal comecem a ter alguma autonomia, deixam o estudo aprofundado de lado e fazem somente o mínimo necessário para passar de ano. É neste sentido que não se pode confundir TPC e estudo. Quando se obriga a memorizar e repetir, estamos a impor uma concepção já programada e raramente as crianças aprendem a pensar, a pôr em causa, e isso não as ajuda a perceber e ficar com vontade de continuar. O que se propõe com muitas situações de jogo é a possibilidade de produzir, mudar e conceber novas formas de fazer/jogar. Isto, aliás, acontece com os estudantes de qualquer nível de ensino e até com os adultos. Não raras vezes ouvimos dizer que os estudantes 'decoram e vomitam matéria', sem saber nada. O que, sendo um exagero, é já de algum modo uma forma de se denunciar este tipo de concepção do conhecimento.



*Bolseira da FCT
Investigadora do CIIE/FPCVE
Universidade do Porto





Araújo Maria José (2009). Crianças Ocupadas. Lisboa: Prime Books.

1 Brougère, Gilles (2004). Brinquedo e Companhia. S. Paulo: Cortez Editora/Brougère, Gilles (2008). La Ronde dês Jeux et dês Jouets.

Harry, Pikachu, Superman et les autres. S. Paulo: Cortez Editora.

2Gee, J. Paul (2007). Situated Language and LearningA Critique of Traditional Schooling.London: Routledge.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Violência Escolar e Bullying


Após o sucesso do encontro de dia 17 de Outubro, irá haver uma re-edição do congresso Violência Escolar e Bullying.
Esta possibilidade surge, uma vez que muitos interessados, por questões logísticas, não foi possível estarem presentes, poderão agora ter uma nova oportunidade.


O tema abordado será o mesmo, contudo haverá algumas comunicações diferentes para conseguir abranger maior número de situações dentro desta temática. Inclusve a participação do grupo de teatro debate USINA, que nos presenteará com o seu espectáculo Macacos e Pombos sobre bullying.

Este congresso vai de encontro aos pais e profissionais da área da Educação e Saúde que convivem com situações de violência escolar e Bullying. Nesta perspectiva, foi organizado um encontro de profissionais que irão partilhar os seus conhecimentos, estratégias e experiências que sejam um ponto de partida para um trabalho com crianças agressoras e vítimas de violência.
 
Actualmente é um tema bastante presente nas realidades escolares pelo que juntamos um grupo de formadores e investigadores na área para em conjunto partilharem a sua experiência e conhecimento.
 

Terá inicio dia 5 de Dezembro, pelas 10h e término pelas 18h, a meio da manhã e tarde será servido um coffee-break a todos os participantes. Está salvaguardada a possibilidade do almoço no local através de um buffet.
 

No final será atribuído a todos os participantes um certificado de participação
Parte das receitas remetem para a Associação Almadense Rumo ao futuro
 

Poderão encontrar toda a informação relativa ao congresso no mesmo site www.violenciaescolar.pt.to

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Novas Oportunidades



"É avassaladora a "sabedoria" dos nossos rapazes, hoje em dia!!!


*As melhores frases dos piores alunos*

*O Convento dos Capuchos foi construído no céculo 16 mas só no céculo 17 foi levado definitivamente para o alto do monte.* 

(claro! Com o peso demorou 100 anos para subir o monte !!!)




*A História divide-se em 4: Antiga, Média, Momentânea e Futura, a mais estudada hoje
(a Futura é particularmente estudada pela "Maya" certamente)




*O metro é a décima milionésima parte de um quarto do meridiano terrestre e para o cálculo dar certo arredondaram a Terra! *

(Ups! Até eu me vi atrapalhada para fazer o cálculo. Imaginação tem ele... vai ser matemático de certeza, Portugal precisa de matemáticos com imaginação)



*Quando o olho vê, não sabe o que está a ver, então ele amanda uma foto eléctrica para o cérebro que lhe explica o que está a ver.* 

(nada mal pensado. Somos uma máquina fotográfica em potência e em funcionamento contínuo)



*O nosso sangue divide-se em glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e até verdes! * 

(acho que faltam os Azuis!!Ah, mas esses com o apito dourado andam em fuga)



*Nas olimpíadas a competição é tanta que só cinco atletas chegam entre os dez primeiros.*

(entende-se agora a prestação de Portugal nos jogos olimpicos!!! )




*O piloto que atravessa a barreira do som nem percebe, porque não ouve mais nada.* 

(claríssimo!! Se passou a barreira o som quando chega já ele passou, por isso não o ouve. Será?)



*O teste do carbono 14 permite-nos saber se antigamente alguém morreu.* 

(Assim de momento acho que hoje em dia basta verificar se o coração parou ou se respira... quer  dizer... digo eu... mas pelo sim pelo não que se faça o teste do carbono 14, se os gajos do CSI descobrem uiui)



*O pai de D. Pedro II era D. Pedro I, e de D. Pedro I era D. Pedro 0*

(E antes foi o Pedro -1, já agora) 




*Em 2020 a caixa de previdência já não tem dinheiro para pagar aos reformados, graças à quantidade de velhos que não querem morrer.* 

(São uns chatos! Se o Socras topa o "jogo" deles...) 



*O verme conhecido como solitária é um molusco que mora no interior, mas que está muito sozinho.*
("tadinho", espero que não tenha medo do escuro ou das trovoadas, não merece tanto sofrimento)




*Na segunda guerra mundial toda a Europa foi vítima da barbie! 

(Queria dizer, decerto, barbárie! Ainda não existia os Morangos com Açucar... ai então é que seria lindo, não era a barbie que levava a melhor não!)



uito perigoso.* 

(nem sei que diga... se a protecção dos animais descobre estamos todos tramados)



*A Terra vira-se nela mesma, e esse difícil movimento chama-se arrotação.* 

(não consigo encontrar melhor definição) 




*Lenini e Stalone eram grandes figuras do comunismo na Rússia.* 

(exactamente, principalmente o Stalone)



*Uma tonelada pesa pelo menos 100Kg de chumbo.* 

(Diabos me levem...!!!)



*A fundação do Titanic serve para mostrar a agressividade dos ice-bergs.* 

(claro, nem a experiência podia ter sido feita de maneira diferente; tinha de ser usado um dos animais mais agressivos que se conhece) 




*Para fazer uma divisão basta multiplicar subtraindo.* 
(atenção, não tentem fazer isto em casa, pode ser perigoso... pelo menos complicado é! Pelo sim pelo não peçam esclarecimentos ao futuro professor catedrático de análise matemática)



*A água tem uma cor inodora.* 

(pois... eu também gosto muito dessa cor) 




*O telescópio é um tubo que nos permite ver televisão de muito longe.* 

(o tipo deve ser "espião" da vizinhança, sinceramente. . já ninguém quer aderir ao MEO... anda tudo a "chular" os vizinhos. Será que com o telescópio conseguiu ver a grande penalidade fora da área?!)



*O sul foi posto debaixo do norte por ser mais cómodo.* 
(obviamente que sim. )



*Os rios podem escolher desembocar no mar ou na montanha.
(é isso! Ao nascerem podem escolher... viva a liberdade de escolha!) 




*Os escravos dos romanos eram fabricados em África, mas não eram de boa qualidade.* 

(Racista... só os fabricados na China é que são bons não?!) 




*A baleia é um peixe mamífero encontrado em abundância nos nossos rios.* 

(todos os dias me cruzo com baleias ao atravessar o rio, é tão giro)




*Newton foi um grande ginecologista e obstetra europeu que regulamentou a lei da gravidez

(Não consigo ter palavras...mas que ele tem razão...tem...gravidade...até se deve dar uns pontinhos...nível 3) 




*Ao princípio os índios eram muito atrasados mas com o tempo foram-se sifilizando. *

(tal qual como quem escreveu isto,  digo eu... cheia de esperança!!) 




*A Terra é um dos planetas mais conhecidos e habitados do mundo.* 

(questão para se perguntar... quantos planetas tem o mundo?) 




*A Latitude é um circo que passa por o Equador, dos zero aos 90º.* 

(os "circos" deste são mais pequenos que o habitual, mas está bem, é uma opinião a ser estudada!!)



*Caudal de um rio, é quando um rio vai andando e deixa um bocadinho para trás!* 

(é claro. Caso contrário ficava vazio depois de passar. Deve ser uma forma de o encontrarem)



*Princípio de Arquimedes: qualquer corpo mergulhado na água, sai completamente molhado. * 

(aí não há dúvida nenhuma)






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos